Regina Harumi Sakuma

 

A presente pesquisa possui como objetivo geral investigar, sob a perspectiva budista da escola Mādhyāmaka, como o apego fixado (upādāna) se manifesta nas relações com animais de estimação e quais suas consequências no âmbito particular e social em nossa atual sociedade de consumo. Nesse sentido, busca-se analisar as relações nas quais o pet assume o papel tanto de consumidor – sob o status de membro familiar – quanto de consumido – como animal-produto, buscando correlacioná-las com conceitos apresentados pela escola budista da escola Mādhyāmaka acerca da construção de apego fixado (upādāna). A escolha do pensamento Mādhyāmaka deve-se ao seu fundamento em conceitos importantes acerca dos processos de produção de apego, sendo uma valiosa ferramenta de análise para utilizarmos em nossa compreensão daquilo que norteia o indivíduo inserido na sociedade de consumo contemporânea. A superimposição ou projeção (samāropa) do eu sobre as coisas – pessoas, animais ou objetos – como forma de apego fixado (upādāna) é posta como aquilo que traz o afastamento da realidade interdependente, gerando a falsa noção de um indivíduo separado e autônomo (ātman). Consequentemente, suas ações não são vistas sob seu aspecto multidimensional de estrutura causal relacional ou interdependente, resultando em impactos deletérios em todas as construções relacionais desenvolvidas – entre elas, com animais de estimação. (AU)

 

Palavras-chave

apego; escola Mādhyāmaka; animais de estimação; consumo

Texto completo:

PDF

Acesse a página da publicação:

http://tede.metodista.br/jspui/handle/tede/2205

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *