MENU

Patricia Guernelli Palazzo Tsai

Cibele Priscila Busch Furlan

Resumo

O presente artigo visa apresentar algumas das regras normativas do código monástico budista relacionadas ao ato de esmolar alimentos pelos renunciantes de ambos os sexos das comunidades budistas, Saṃgha. O ato de esmolar alimentos, assim como todo o conjunto de características comportamentais e morais relacionado aos praticantes monásticos, se tornou um importante elemento que proporcionou identidade para as Saṃghas do Buda, uma vez que benfeitores – que moravam nas cidades e vilas ao entorno das comunidades – acabavam por reconhecer monges, bhikṣus e monjas, bhikṣunīs distinguindo das demais religiosidades e comunidades da Índia Antiga. Essas regras instituídas pelo Budahistórico, e preservadas pelas comunidades, evidenciam o grande cuidado no tocante à nutrição dos praticantes, especialmente em relação ao como e o que se alimentar, a higiene pessoal, bem como o comportamento dos bhikṣus e das bhikṣunīs com todo esse processo. O objetivo da atenção à alimentação não era outro que proporcionar condições adequadas para o desenvolvimento dos praticantes em relação aos estudos e à meditação.

Palavras-chave

Budismo, Vinaya Dharmagupta, Ética, Alimentação.


Texto completo:
PDF

Acesse a página da publicação:

https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/PF/article/view/1036665?fbclid=IwAR08eTr0rxdqp2HCYxS_npEV_jJ1imsPfmVXMkhDSaa-HMZbSNx_EEXHUAU

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress