MENU

Estela Piccin (Lobsang Lhamo)

Resumo

Este artigo tem como objetivo investigar os limites do budismo enquanto religião, enquanto filosofia e enquanto filosofia da religião, sob o ponto de vista da tradição Geluk. Através de uma pesquisa bibliográfica de autores da filosofia da religião, da budologia e da tradição Geluk, com um método analítico-comparativo, espera–se levantar elementos para investigar as seguintes questões: o budismo é uma religião ou uma filosofia? É possível falar de uma “Filosofia da Religião” de cunho budista? Demonstramos, por fim, que o budismo pode ser uma filosofia com o objetivo de diminuir e pacificar o sofrimento até a realização do completo despertar para o benefício de todos os seres sencientes, e que também pode abarcar a adesão a métodos e ritos de tradições específicas.

Palavras-chave

Budismo; Geluk; Filosofia; Religião; Filosofia da Religião.

Texto completo:

PDF

Acesse a página da publicação:

https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/PF/article/view/10564

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress